A palavra iatrogenia (iatros: médico;  genia: origem) é utilizada na literatura científica para denominar  quaisquer doenças ou danos causados a alguém por um ato médico, seja esse ato terapêutico ou cirúrgico. Importante dizer que esses danos englobam inúmeras vertentes, podendo ser consubstanciados em danos psíquicos, farmacológicos ou instrumentais, todos provocados por uma ação médica de óbvia intenção benéfica. É de extremada relevância aduzir que a iatrogenia deve ser encarada em suas repercussões no sentido lato  sensu e stricto sensu.

É evidente que quando há uma lesão, um dano causado a um paciente em decorrência de um mau proceder do médico, este terá a obrigação de reparar o indivíduo (paciente) pelos danos causados, físicos e morais.

A lesão iatrogênica strictu sensu é exatamente aquela causada pelo atuar médico correto. Isto mesmo, atuar correto, vale dizer, de acordo com as normas médicas e boa técnica procedimental, ou seja, com intenção benéfica e agir correto, preciso. No entanto, ainda assim, sobrevém ao paciente uma lesão em decorrência daquele agir , lesão que muitas vezes pode até ser fatal. Abrindo neste momento um abismo entre paciente ou sua família e o médico ou  a instituição de saúde. Há quem diga que a iatrogenia é apenas um meio do médico ” se livrar ” da sua responsabilidade profissional.

Esta  forma de pensar, demonstra um certo desconhecimento sobre o tema, pois, qualquer um que entre num hospital, ante as evidências de necessidade de se submeter a certo tratamento, ou mesmo atendimento de urgência, e sai da unidade hospitalar ou da clínica, curado ou tratado do mal primário, mas padecendo de um novo mal decorrente da intervenção realizada, dificilmente aceitará tal situação e, muitas vezes, vai bater nas portas do Judiciário visando buscar uma indenização ou reparação. A iatrogenia, busca estudar e entender o tipo de responsabilidade médica envolvida nos atos médicos, se apenas civil, ou também penal.

Anúncios